Quer mudar para a Região dos Lagos? 4 dicas para escolher bem o destino

Quer mudar para a Região dos Lagos? 4 dicas para escolher bem o destino

Mudar de cidade nunca é fácil. Seja por trabalho, estudo ou desejo de mudar de ares, deixar um lugar habitual, onde você tem um supermercado favorito e os rostos conhecidos dos caminhos em que passa, exige planejamento e reflexão.

No Rio de Janeiro, muitas pessoas têm deixado as cidades maiores em busca de qualidade de vida e corte de gastos, e ido em direção a cidades como Cabo Frio e Búzios, por exemplo, localizadas na região dos Lagos. Se a mudança não é uma imposição das circunstâncias, mas uma opção, nada melhor do que dar esse passo baseado em pesquisas.

Não sabe por onde começar? Então dê uma olhada nas dicas a seguir.

1 – Informe-se sobre a cidade (detalhadamente)

Busque dados sobre absolutamente tudo que te interessa. Está indo sem posto de trabalho definido? Saiba se a sua área possui boas oportunidades na região para a qual pretende se mudar e quais são os locais que poderão receber seu currículo.

Se a intenção é alugar ou comprar uma casa ou apartamento em Armação dos Búzios ou Cabo Frio (veja aqui), informe-se sobre o mercado imobiliário da cidade e se o momento é bom para fechar negócio. Além disso, é fundamental conhecer a infraestrutura oferecida pelo local, desde transporte público até saúde pública. Isso te ajudará a escolher o bairro em que morará, caso realmente opte pela mudança.

2 – Segurança e qualidade de vida

Você certamente não quer se mudar para um local pior do que a cidade em que mora. Muito menos colocar em risco sua segurança pessoa e a de sua família, não é mesmo?

Por isso, informe-se sobre a segurança pública da cidade. Busque por dados, comentários sobre bairros e, principalmente, dê-se a oportunidade de conversar com moradores, pois eles são a melhor fonte de informação confiável.

Não se esqueça também de que uma boa cidade é a aquela que não negligencia a vida cultural de seus moradores. Cinema, teatro bibliotecas, shows, livrarias, parques…enfim, certamente há atrações com as quais você quer estar em contato e das quais não quer privar sua família.

3 – Custo de vida

É preciso estar preparado para as variações de preço que você encontra de uma cidade para outra (faça um comparativo). Isso inclui diferenças no preço de compra e aluguel de imóveis, valor de combustível, de alimentos, conta de água e luz, etc.

Como você já percebeu, a mudança pode representar um susto no orçamento, caso você não esteja preparado. Por isso, não deixe de pesquisar, ser minucioso no planejamento e honesto em relação ao seu orçamento. Chegar em um lugar completamente novo e perceber que o dinheiro disponível não é suficiente para passar pelos meses iniciais pode ser um tremendo balde de água fria.

4 – Dialogue com a família

Mudar de cidade sozinho ou acompanhado da família representa situações completamente diferentes. Quando se está sozinho, as necessidades são menores e os erros atingem apenas uma pessoa.

Mudar com a família não pode ser resultado da decisão de um só membro, pois todos serão atingidos. Assim, aproveite o momento para promover a união e o diálogo.

O volume de pesquisas é grande, não é? Então divida os tópicos entre os membros da família, para que todos participem e comecem a configurar se a mudança será ou não uma boa opção.

No final, o processo pode se revelar até mesmo divertido. Tenha uma boa jornada e uma boa mudança!

Deixe um comentário