Casa de veraneio: investimento que exige cuidado para não se tornar dor de cabeça

Casas de Veraneio

Investir em imóveis é uma das formas mais comuns que o brasileiro utiliza para empregar suas economias. Geralmente, após a compra da casa própria, pensa-se em adquirir um imóvel de veraneio, para curtir os momentos de descanso com a família.

Para que o sonho não se transforme em uma grande dor de cabeça, é preciso tomar algumas precauções. Confira as dicas a seguir e aproveite suas folgas sem preocupação.

Quais são as vantagens do investimento?

Ter a possibilidade de pagar por um lugar onde se pode levar a família, os amigos e passar momentos de lazer é uma grande conquista.

A grande vantagem está em poder escolher o lugar da preferência, decorá-lo de acordo com o gosto pessoal e poder frequentá-lo sem preocupar-se com aluguel prévio. Além disso, a possibilidade de aluga-lo esporadicamente abre a chance de ter uma renda extra.

E as desvantagens?

Talvez desvantagens não seja a palavra adequada. Trata-se de aspectos que devem ser pensados antes da compra, para que nenhum arrependimento ocorra.

Assim, antes de concretizar sua casa de veraneio, considere:

  • Investimento alto: seja na praia ou no campo, casas de veraneio costumam localizar-se em áreas de imóveis valorizados. Desse modo, é preciso estar disposto a pagar o preço.
  • Custos fixos: uma nova residência significa ter novos custos, mesmo quando o imóvel é mantido fechado. IPTU, água, luz, segurança, manutenção e, se for o caso, condomínio. Então se lembre que investimento é mensal.
  • Mobília: para frequentar uma casa, é preciso que ela esteja mobiliada. Então, além do gasto com as contas mensais, é preciso contabilizar esse outro investimento.
  • Deslocamento: no calor do momento e na animação para realizar o negócio, o comprador pode não considerar suficientemente a distância que a casa de veraneio fica de sua residência fixa. Haverá disposição suficiente para deslocar-se com certa frequência ao local? Os custos com pedágio e combustível não pesarão muito?

Soluções: frequentar e alugar

Comprar uma casa de veraneio para frequentá-la apenas nas férias ou outras pouquíssimas datas não compensa. Levando-se em consideração os custos, a melhor opção é alugar um imóvel quando for necessário.

Outro aspecto importante é o desejo da família de variar o destino de suas viagens. Afina, se não se deseja ir repetidas vezes no ano para um mesmo destino, por que comprar uma casa de veraneio?

Pensando nos custos mensais, uma boa solução é alugar o imóvel em determinados períodos do ano. Muitas pessoas têm feito isso e obtido bons resultados.

Desse modo, ao ocupar a casa o maior número possível de vezes por ano, o comprador estará fazendo valer seu investimento, e ao alugar estará cobrindo parte dos custos e até mesmo lucrando. Parcela expressiva de quem aluga seu imóvel para temporada lucra no mínimo R$78 mil por ano.

Alugar exige cuidados

Alugar costuma gerar lucro expressivo, é verdade, mas exige bastante cautela. Contratos por temporada são aqueles que não ultrapassam 90 dias, e isso deve ser respeitado.

Por menor que seja o período de permanência, deve-se sempre firmar contrato, para que ambas as partes esteja seguras.

Quem fez o investimento na casa de veraneio certamente não quer ver seu patrimônio ser depreciado. Assim, o contrato deve descrever, detalhadamente, todos os detalhes da casa, incluindo o mobiliário presente, os utensílios encontrados e o estado de conservação em que o imóvel foi encontrado.

Desse modo, a casa de veraneio será um investimento incrível para a família que desfrutará dela, e ainda complementará a renda, o que é sempre bem-vindo.